terça-feira, 14 de outubro de 2008

GRANDE MÃE

GRANDE MÃE
(Victtoria Rossini)

Sou a grande mãe dos desafortunados
Que correm pra todo lado
Sem ter um colo pra ir
Que choram pelas esquinas
Sem ter quem as reanime
Ou socorra na queda ou fome

Venham minhas crianças...
Ainda há esperança
De que a casa grande do mundo
Tenha porta dos fundos
Para todos abrigar

Corram para os meus braços
Quero reconhecer os traços
Dos órfãos, dos abandonados
Dos sempre postos de lado
Para todos poder ajudar

Sou alma mãe que a todos acolhe
Que meus filhinhos recolhe
Em meus seios em esplendor
Venham pequenos perdidos
Todos que ouço os gritos
Nesse mundo de horror

Sou Mãe, sou fada, sou casa
Retornem pra minha asa
Eu sou a mater do amor

Um comentário:

Julieth Parkin disse...

Adorei esse tb... lindooo D+
Vc já me deu muito colo.
Por isso eu te amo tanto!
Bjaum! :)
Julieth