domingo, 13 de dezembro de 2009

SEI QUE NÃO ME RECONHECES COMO A MULHER DE ONTEM




SEI QUE NÃO ME RECONHECES COMO A MULHER DE ONTEM
(Victtoria Rossini)


Não me olhe com esses olhos dóceis
Nem me trate como rainha!

Me sinto uma intrusa no ninho
Um rato, querendo ser passarinho.

Não quero te enganar
Mas pra ser sincera
Sei que não me reconheces como a mulher de ontem
Como sei que no futuro
Também não me reconhecerás...

E nem depois de amanhã
E nem depois
E nem nunca!

E todos os dia acordarás com uma estranha
Que nunca saberás quem é...

Sinto muito!
Mas nem eu sei quem eu sou!

Até tento descobrir.
Me olho no espelho
Me toco
Fecho os olhos e olhos pra dentro...
Abro os olhos
E olho pra fora
E olho pra dentro...
Mas nada...

Apenas um silêncio expectante,
Num rosto estranho e mutante
Me observa todos os dias
E me pergunta: QUEM ÈS???
E todos os dias
Miro uma pupila
Que acredito ser minha
Mas que me responde coisa nenhuma.

5 comentários:

Veiga disse...

Tens uma escrita interessante, sinceramente gostei!
Aproveito para te convidar a veres o meu, http://www.devaneiosdevida.blogspot.com/, é multemático, pois eu gosto de falar um pouco de tudo e aproveita e vê algumas imagens deste pequeno país mas grande na alma que é Portugal. E sempre podes tambémn deixar por lá um comentário.
Cumprimentos

Victtoria Rossini disse...

Obrigada Veiga!
È umprazer imenso, irei la ler o teu blog sim
bjs e inspiração

Maria Flor! disse...

Vicctoria Querida,

Belissíma poesia, adorei, de fato somos mutantes, mudamos todos os dias, e é sempre surpreendente nos redescobrirmos. Gosto muito disso.
Amei...

Muita Luz em suas inspirações.

Beijos da Flor!

Victtoria Rossini disse...

Fui até teu blog Veiga,li tua matéria, quase jornalistica, controversa, moderna e muito interessante, mas não sei prq não pude comentar.
abraço e sucesso

Victtoria Rossini disse...

Floooooooooooorrrr
cade vc amada!!
Tava sumida!!
Te amoooooo
bjs no coração
;))
Brigada