quinta-feira, 3 de abril de 2008

O CIRCO

O CIRCO
(VIcttoria Rossini)

Um circo passou pela cidade
Deixando saudade
Nos olhinhos febris


O palhaço e sua corneta
Equilibrados na lambreta
Surpreendem o rostinho feliz

Nem mesmo o bafo da onça
Ou o enorme furo na lona
Desestimula a aprendiz

Que segue dançando no palco
Limpando o coco do cavalo
E sonhando em ser atriz

É a caravana da alegria
Chamando todos todo dia...
A infância que nunca me desfiz

2 comentários:

alice disse...

essa poesia nos leva ao circo.conseguimos vivenciar todos os momentos citados.poesia é isso.amei.

Cris disse...

No circo da nossa infância
Aprendemos a temperar a vida
Hoje, com todos os palhaços sem-graça
Muitos buracos na lona
Continuamos a sorrir