domingo, 4 de janeiro de 2009

BOLSA FECHADA


BOLSA FECHADA
(Victtoria Rossini)

Meus segredos guardados
No fundo da minha bolsa
Nem à meu travesseiro confesso

Não mexo nos velhos recados
Para não ferir meus dedos
Muitos ainda cortam
Aqui tem pontas que me ferem
E odores que me transportam

Tenho uma berloqueira selada
Com cabelos e relíquias
De amores do passado
Escondida num fundo falso
Que nunca ousei usar

Do tempo que vivi plenamente
Ainda guardo sementes
Que a qualquer hora
Se caírem em solo fértil
Podem arrebentar pelo chão
E seus galhos violentos
Subir alucinados pelas paredes
Tal qual João e o pé de feijão

Por isso mantenho fechada
Minha bolsa recheada
De segredos e recordações

Um comentário:

Julieth Parkin disse...

Te amooooooooo amiga!!
(,”)\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_……………..