segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

DOSANDO A QUÍMICA


DOSANDO A QUÍMICA
(Victtoria Rossini)

Desnudar-se
Subir em uma arvore
Gritar a plenos pulmões no meio da rua
Rir de tudo
Não se levar a sério
Nem levar nada a sério....

Tudo isso é loucura
Se não é feito
No lugar certo
E na hora certa

Mas onde seria o lugar para despir-se?
Despir o que?
Em qual arvores subir?
Como achar a rua certa em que nos ouçam?
Onde e como achar o engraçado da vida?
Como não se sentir responsável por tudo que nos acontece?
Como se jogar no tempo e espaço sem levar nada a serio?

Se paro
(Em frente a cada incógnita que minha vida me apresenta)
Viro pedra
Se fujo
Viro água
Se me fundo
Viro fogo

Se viro emoção me perco
Se viro razão adoeço

Paradoxos
No equilíbrio milimétrico
De misturar doses de mim
Em quantidades homeopáticas
Suficientes apenas
Para não enlouquecer

Um comentário:

ILMA disse...

Boa noite Victtoria Rossini,
amiga passando para fazer uma visita, olha eu juro que fiquei ate meia abobada com tantas maravilhas, vindo de você.
So posso mesmo e agradecer a você e pedir a papai do ceu para continuar te dando muita inspirações, para que você possa continuar nos presenteando com esta lindas e maravilhosas poesias.

Que Deus te abençoe minha amiga.


Beijos no coração.