quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

SAPO



SAPO
(Victtoria Rossni)


Sou sapo
Morrendo afogado...
Acostumei-me ao seco
Agora tenho medo
De resvalar nas pedras
E pela água ser sugado

Sapo velho
Couro maltratado
Cicatrizes antigas
Inimigos temidos
Na velha lagoa
Que está secando


* * *

Um comentário:

Kazahn disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.