quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

COMO NASCE UM POETA


COMO NASCE UM POETA
(Victtoria Rossini)

Os poetas nascem no inferno
São forjados no fogo da dor
Nas fornalhas das paixões
Brotam do ventre da terra das ilusões

Nascem de boca aberta
Carentes
Repetentes na matéria amor
Cheios de desejos suspeitos
Guardados num peito
Que sangra de tanto ardor

Vivem com os pés na terra
E a mente no céu
Porque sem provar o paraíso
Nem que seja dentro de sua mente
Não se pode descrever
Os caminhos dos sentimentos
Não se pode descrever
A linha tênue que liga o amor a dor
Nem os dois lados da vida e da morte
E nesse intervalo
As peripécias da sorte

Quem não tem coragem
De se jogar no abismo do amor
Nem de voar do vale do desespero
Em direção a luz
Ao sonho
Não pode ser chamado de poeta

Poetas são os heróis do sentir
Descrever
E ainda sobreviver aos seus próprios sentimentos

2 comentários:

Julieth Parkin disse...

Hi Vic!
How are you?
Beautiful poetry!
Beautiful photos!
(,”)\\
./_\\. kisses
_| |_……………..

Rafael Guerra disse...

descreveu perfeitamente...
gostei tambem do que escreveu em "como exercitar a sensibilidade".