quarta-feira, 28 de maio de 2008

O SONO DAS FADAS MUSAS


O SONO DAS FADAS MUSAS
OU
QUANDO A INSPIRAÇÃO SOME
(VIcttoria Rossini)


Flor de bico
De pena encantada
Em versos escrito
Em trova cantada

Meus versos fluidos
De sons relembrados
Á sopro de fada,
Se extinguem no nada...

Sobrando só a tinta
Que a poesia pinta.
E o corpo poema
É só relevo e trama

As flores se fecham
As folhas se dobram
Esmaecendo o mundo
Esvaziando tudo

Voltando a fonte
Das coisas sem dono
Deixando só a ponte...As palavras vazias...
Sobrando o abandono

E as musas poetas
Que inspiram os versos
Se escondem quietas
Nas linhas e traços

Restando o silêncio
Na voz do poeta
E um vazio imenso
Sem tom ou sonata

E o som das palavras
Que movimentam a vida
Tornam-se simples letras
Morrendo esquecidas

2 comentários:

Valéria disse...

Os sonhos que tua poesia canta minha!lma encanta nos encantamentos dos sonhos meus...
Adorei a poesia.
Valeria carvalho.

Victtoria Rossini disse...

:)) Obrigada Veléria!
Bjs lindona