domingo, 29 de junho de 2008

ÁRVORES DE POEMAS


ÁRVORES DE POEMAS
Victtoria Rossini)

Ainda tenho a árvore de poemas
Que no auge do nosso amor
Plantaste em meu jardim.
Me deito sob elas todos os dias
E deixo que sua essência
Se despeje sobre mim

Abro bem os olhos e a boca
E me alimento das lembranças
Que me abastecem da tua imagem
Toco as folhas, Cheiro as flores
Admiro tua alma
Que vejo aberta em cada linha

Seu sorriso ainda soa por entre as flores
E sua respiração sopra embalando os galhos
Pena que as últimas árvores-palavras
Tenham gosto de sangue
Palavras duras que escreveste exangue
São árvores tortas de ressentimentos
Que não retratam nossos momentos

Fecho a página...Pisco os olhos
E volto para minha realidade.
Ficam lá as nossas árvores poemas
Nossas ternas parceiras
Da nossa vida na virtualidade.

Um comentário:

vicente disse...

Tuas palavras, são meus sentimentos..
Entras em meus pensamentos, como se me conhecesse, ou mesmo me sentisse...
Adoro o que escreves, pois o faz por mim, que não tenho esse dom..
Mas a sensibilidade de sentir a
mensagem das tuas letras, essa eu
possuo...e gosto muito de senti-la
Seja como Victtória...ou mesmo se fosse a suave brisa de Mar...!!!!